2008-08-31

Ai!

É para reproduzir com som.
Pessoa sensível? Passe à frente.




Gostaria de agradecer a todos os que passam por cá com regularidade, a todos os que em tempos frequentaram esta espelunca e faço votos de que, algures nas vossas vidas, tenham uma fractura exposta.

Gosto profundamente deste espaço.

Se este blog é homem, eu sou gay.
Se este blog é mulher, onde estão as mamas? Não percebo.

2008-08-28

Vamos para a Guerra!

Enquanto os meus leitores acham que estou louco, que acordei com os pés de fora ou que estou com o período, há um homem que se chega à frente e diz:



- Vamos lá começar a rebentar esta merda toda.

Vladimir Puttin demonstrou hoje que tem poder e que o vai usar (se eu pedir).

Usa-o Vlad!

2008-08-27

O plasma que destruiu uma civilização

Sendo eu um pacifista podem parecer-vos estranhas as linhas que vou escrever.

Para enfrentar a crise económica precisamos de uma guerra com urgência.
Acho mesmo que não há volta a dar. Precisamos de mortos, pedaços de corpos espalhados pela rua, insegurança, medo, famílias destruídas, cidades arrasadas, estruturas de saneamento básico, electricidade e água devastadas, metade das pessoas que conhecemos enterrada e a outra metade em vias disso.

Por todo o mundo o ser humano se queixa da crise justamente quando chegámos à época em que:
  • Pagamos uma mensalidade no ginásio para perdermos aquilo que comemos a mais.
  • Pagamos para ter comprimidos que nos ajudem a perder aquilo comemos a mais.
  • Pagamos para ter comprimidos para nos livrarem da tristeza que é viver sozinho, atrás de um computador ou de uma personalidade intolerante que à mínima contrariedade "despede" uma pessoa da sua vida.
  • Pagamos para ir ao cinema ver a vida maravilhosa de outras pessoas, as que têm coragem para mudar o mundo e que, depois de desligadas as câmaras, vão tomar antidepressivos para o camarim.
  • Pagamos para ter sexo.
  • Pagamos para ter medicina que nos livre das doenças que contraímos a trabalhar 10 horas por dia.
  • Pagamos para que alguém tome conta daqueles que amanhã vão ser "uns mal agradecidos" porque trabalhámos para lhes dar tudo (materialmente) o que têm.
  • Pagamos a mensalidade de um carro que em vez de trabalhar para nós pôs-nos a fazer o contrário.
  • Pagamos para sermos bonitos, atraentes, para conseguir sacar um bom companheiro(a) porque não somos suficientemente interessantes para o fazer de outra maneira.
  • Pagamos por cultura para nos tornarmos interessantes, para podermos beber aquilo que os outros tiveram coragem de experimentar ao vivo e a cores.
  • Pagamos por um telemóvel que tenha câmara de 30 mega pichas, porque é muito importante tirar fotos de todo e qualquer cagalhão que encontremos na rua.
  • Pagamos a prestações um plasma (que geralmente é um LCD mas "plasma" dá uma erecção maior) porque o que precisamos mesmo é de ter cinema em casa, independentemente do número de cáries que possa ter a boca do puto.
Há outra hipótese?
Quando digo que precisamos de uma guerra, não me refiro a brincadeiras como no Iraque. Refiro-me a uma terceira guerra mundial. Uma guerra onde não se lute por interesses económicos mas sim por pura sobrevivência.
Uma guerra onde Cristiano Ronaldo terá que vender os brincos para comprar meia carcaça.
Uma guerra onde de nada valerá um iate porque não dará para trocar por comida.
Uma guerra em que o Major Valentim Loureiro fique com merda a escorrer pelas pernas só de ouvir um morteiro.
Uma guerra onde o preço da gasolina vai deixar de ser importante simplesmente porque não sabemos dos nossos amigos há meses.
Uma guerra em que seja tolerável comer a Lili Caneças porque os talhos estão vazios.
Uma guerra em que se consiga uma carnificina apenas por lançar um saco de pão para o meio de 1000 pessoas esfomeadas.
Uma guerra em que o Manuel Luís Goucha seja forçado a vender o seu guarda roupa apaneleirado para o fabrico de tendas.

Crise económica? Será que a classe média não se apercebe que não é o governo mas sim o mundo que está a atingir a saturação por excesso de arrogância (a da própria classe média)?

Acredito que haja muita gente a passar genuínas dificuldades mas acho que é quase pornográfico que um gajo com um plasma em casa se queixe por tudo e por nada.
Um dia hás-de barrá-lo com manteiga e vais enterrá-lo no cu (porque não o podes comer de outra maneira).

BAIXA A BITOLA MEU COIRÃO CHUNGA! Tu não tens direito a viver só porque respiras!
Vê lá se te faz mal à mioleira ver o Benfica a perder num ecrã de 55 centímetros.

2008-08-26

Lógica - A religião que nunca falha

Até hoje não saberia bem o que responder à pergunta "és de que religião?". Passarei a responder sem pestanejar que eu acredito na Lógica.

Parece estúpido e uma crença demasiado óbvia? Talvez mas nem tanto.
Continua a haver um número elevadíssimo de pessoas que acreditam que as catástrofes são testes de Deus à nossa fé e não consequências geológicas ou geradas pelas acções do homem.
Felizmente esses tempos já lá vão? Não me cheira.



Mas falemos antes da minha "religião". Porque é que vale a pena abraçar este culto? Ele NUNCA vos vai falhar.
Pensem bem nisto. Se acreditarem na lógica e somente nela, nunca vão ter que olhar para o céu, acenando com o coto a perguntar:
- Porquê meu Deus, porquê?
Não estou a dizer que lógica vos vai safar de todos os males do mundo, nada disso, mas a resposta à pergunta deste jovem amputado é clara e reside dentro dele próprio. Se se questionar irá chegar à conclusão de que não se olha para o decote de uma transeunte enquanto se opera uma serra eléctrica. É mais que lógico que a serra não ia parar ao sentir o osso dele. Quando muito abrandava para rir um pouco e depois, vá de espirrar sangue!

A lógica diz a este jovem: eras um camelo e agora és um camelo de 3 patas.
Deus não diz nada. O crente é que dirá que Deus quis que fosse assim. É mais ou menos o mesmo que dizer que "não como alface, porque não".

Uma pessoa é baleada por um assaltante, na cabeça, sobrevive. Foi a mão de Deus.
Foi a merda! Se Deus em vez de usar a mão usasse a perna e pregasse uma rasteira ao meliante, um tinha os queixos partidos e o outro teria saído ileso. Isso é que seria a bondade do Senhor.
Vamos tentar juntar por um instante a lógica a Deus: Será que ele não tem pernas ou não sabe pregar rasteiras?

A sua filha veste-se como uma vaca rasca? A Lógica diz que você e a sua filha moram no Barreiro e que ela se veste assim porque é efectivamente uma pêga profissional, que só faz descontos ao padastro porque ele faz uma chantagem jeitosa.
A religião do Senhor Jesus, deverá dizer que ela é assim porque é a vontade de Deus e nem se interrogará se ele não anda com umas vontades estranhas...

Eu tento viver a vida de acordo com a Lógica. Eu sou um lógico praticante (até porque se não o fosse, era ilógico).
Os católicos podem ser praticantes ou não-praticantes. O não-praticante continua a ser católico e a vibrar pelo clube, só que não vai ao estádio. Seguindo esta lógica (que não é a Lógica), eu sou um astronauta/prostituto não-praticante.

A Lógica nunca te vai queimar num pelourinho. Quando muito tu é que te queimas porque és estúpido e gostas de brincar com isqueiros e latas de desodorizante. A Lógica apenas te dirá que fogo+estúpido+cara=expressão facial pouco atraente.

Tal como os católicos, por vezes deixo de acreditar nos dogmas pelos quais tento guiar-me. Já abandonei algumas vezes a lógica para acolher em mim a verdade de outras pessoas (o que é coisa para dar, de vez em quando, buraco). Sempre que a Lógica entra em conflito com as pessoas é porque nós não estamos a ver bem a extensão das peças que compõem o puzzle ou estamos a levar com um barrete do tamanho do rabo da Oprah. Convenhamos que ninguém quer andar com algo de tal dimensão na cabeça. Não só faz mal à coluna como eleva o centro gravítico a um nível que nos impede de andar sem parecermos um bêbado, coxo e que acabou de dar dez voltas a uma mesa.
Cem por cento das vezes em que isto me aconteceu e em que abandonei um instinto (que também se guia pela Lógica) acabei por ter que voltar atrás.

Quem é que se atreve a desafiar a Lógica?

2008-08-25

Siga para Vénus

Questão:
As pessoas que batem com com os talheres nos dentes merecem permanecer neste planeta?

And Now for Something Completely Different

Omiti aqui algo de relevante.
Havia mais uma moça que também não fumava... Já fuma.
Durante 3 dias fê-lo à janela, como é suposto, mas ao quarto dia "esqueceu-se" de o fazer. Sabemos que é um "esqueceu-se" e não um esqueceu-se quando percebemos que nunca mais se "lembrou" de o fazer.

E agora, só para atenuar o meu estado de irritação por me terem espalhado cinza pela mesa, gostaria de vos apresentar uns vídeos bem humorísticos, aos quais nem o fumador mais carrancudo vai resistir.

O primeiro é protagonizado por John Cleese, o histórico membro dos Monthy Python.







É ou não é bem divertido?

2008-08-24

Anúncio

Procura-se mulher séria, bonita, atraente, com excelente sentido de humor, carinhosa, louca na cama, culta e com uma personalidade forte para lhe remover os rins e abandonar numa sarjeta.

As interessadas devem contactar o proprietário deste blog.

2008-08-23

Crime violento? Sim, por favor.

Não, não tenham pena das vitimas da criminalidade da moda, a mais violenta.
Entre essas "vitimas" há, de certeza absoluta, pelo menos uma que aprecia a Ágata. Neste caso a violência não é crime mas sim uma tentativa de repor a justiça e o bom gosto.

E que não se riam os fãs de Tony Carreira! Brevemente haverá um qualquer objecto contundente dedicado ao rebentamento da vossa nuca.

2008-08-22

Afinal já somos os maiores outra vez!

Viva à parolada que é este país.

Ainda que tendo concordado sem qualquer hipocrisia com o que se escreveu por aqui, ao perceber que as pessoas que começaram a "apedrejar" a comitiva portuguesa nos jogos olímpicos são as mesmas que do nada, se tornaram especialistas em triatlo, tive que repensar a minha opinião. Cá vai:

Aqueles que já tiveram uma pequena experiência competitiva, vamos lá, fazer uma corrida com um amigo, sabe perfeitamente que nunca sabe bem perder.
Aqueles que já tiveram um pequena experiência competitiva que envolva algum público, ainda que sem grandes perspectivas de arrancar excelentes resultados, sabem que as palavras "pressão" e "nervosismo" são algo que envolve qualquer desportista.
Aqueles que já foram apanhados a cagar no meio da mata (ou até mesmo na mesa da cozinha) terão uma pequena ideia do constrangimento que é estar em frente a milhares de pessoas.

Alguma dessas vozes críticas sente, no mais profundo do seu ser, que seria capaz de continuar a cagar enquanto outra pessoa assiste ao seu desempenho?
Alguma dessas vozes críticas investiu anos de vida numa simples cagada? Se sim, lamento informa-vos que padecem de Alzheimer e que na verdade isso foi papado há poucas horas.

Tirando raras excepções, não acredito que qualquer um dos que produziram algumas das declarações mais parolas de todo o sempre, tenham provado a derrota de animo leve.

Agora que a comunicação mais otária de todó mundo vai reentrar em histeria, perguntam vocês:
- Piston, meu ser de genitais mutantes, não há ninguém no meio desta história toda que mereça ser perfurado na cabeça com um berbequim até ficar com a expressividade de uma boneca insuflável?
Claro que sim. O manda-chuva da comitiva!
Um líder que anda ao sabor da comunicação social, um lider que ao contrário dos atletas tem a oportunidade de fazer declarações a frio, ponderadas e apaziguadoras, um líder que decide alinhar cobardemente num ataque a quem já está moribundo, merece ser alvo de uma pequenita carnificina.
O senhor Vicente Moura, aparentemente, já não se vai demitir do seu cargo. Aquele que não defendeu os seus atletas quer agora manter-se à frente do destino dos mesmos.

É certamente um orgulho e um privilégio representar a nação, mas o que é afinal a nação? Um território? Não é a nação um conjunto de valores gerados por quem nela vive? É que se é isso, prefiro não ter país.

Para terminar gostaria de deixar aqui algumas palavras soltas para que façam uma livre associação de ideias:
  • Desporto
  • Grunhos
  • Glória
  • Nação
  • Nelson Évora
  • Francis Obikwelu
  • Deco (o jogador, como é óbvio)
  • Assalto ao BES

2008-08-20

Morangos com Açúcar Vs Rebelde Way

Estava noutro dia a arrancar com os dentes cravos do pé de um mendigo, quando me dou conta que estava a dar na televisão a Morangos com Açúcar. Após apreender alguns dos diálogos desta maravilhosa peça de ficção penso para comigo o quão relaxante seria se, por um mero acaso, me rebentassem uns 10 aneurismas cerebrais em simultâneo.

QUE MERDA DE GUIONISTAS!
Não há ninguém que pegue numa faca ferrugenta e que abra estes gajos ao meio? Não? E armas nucleares? Que se lixem os pacifistas! Quero que amarrem uma ogiva à cabeça daquelas bestas e que rebentem com 10 gerações!

Deixem-me também que me dê uma palavrinha a quem deu o nome de "Rebelde Way" à série concorrente, a da SIC.
- Achas que és muito criativo e que vais apanhar os putos todos com esse nome super-cool?
É verdade que não há nada mais cool que ser um granda rebelde, daqueles que lutam contra os pais, contra o sistema e que só ouvem música não-comercial no seu Ipod comprado com o salário que ganham enquanto trabalham como filhos, contudo, "Rebelde Way" é, provavelmente, o nome mais merdoso da história da humanidade. Faz-me um favor e vai nadar numa ETAR até que te cresçam borbulhas gigantes no interior da garganta.

Na tentativa de tornar a coisa moderna e apelativa, dando um toque americanado à coisa, conseguiu-se algo de tão elevado bom gosto que rivaliza, na sua própria categoria, com um prato de iscas com chantilly.


Gostaria também de deixar um pequeno ataque pessoal à moça que aparece na promo no lado esquerdo: esse penteado e expressão humilde à Robert Mugabe, despertam em mim instintos do demónio.
Apetece-me despir-te toda, enterrar-te na praia até à cabeça e chamar uma matilha de pit-bulls esquizofrénicos, só para que te estilizem a tromba um bocadinho.

2008-08-19

A mulher perfeita...


É impressionante como mesmo a pessoa mais fria e inatingível, a maior besta do mundo, quando tocada da forma certa pela pessoa certa se pode tornar num ser dócil e carinhoso.

A mulher perfeita é aquela que tem a agilidade suficiente girar o corpo de forma a evitar marcas de maior aquando de uma sessão de disciplina, dada pelo seu companheiro, com o recurso a um saco de laranjas.

A mulher perfeita é aquela que consegue articular de forma perceptível a frase "caí das escadas" mesmo quando tem o maxilar partido.

Tiveram por momentos a ilusão de que ia escrever algo romântico? Está tudo parvo ou quê?

2008-08-18

Na loja online do hipermercado Continente...


Desculpe? Eu li bem? "Bacalhau Higienizado"? Esta é nova.
Terá este bacalhau sofrido uma dura lavagem com Dystron?
Porque locais andou metido este bacalhau?
Será de viveiro?
Terá crescido numa ETAR?
Saberá a rosas?

Alguém me explica qual o significado desta expressão neste contexto?
Não estamos a abusar um bocadinho no que toca à obsessão por uma vida livre de germes?
Já não há ninguém que use a mesma faca para limpar as unhas dos pés e para cortar o queijo?
Que vozes são estas na minha cabeça?

(Ainda estou traumatizado por ter tido que explicar a uma MULHER o que era a Dystron.)

2008-08-14

Casas de Banho de Portugal

Não vos parece que as casas de banho deste país merecem uma rubrica? Claro que merecem!


Entrego-vos aqui, de mão beijada, quatro casas de banho que, pelas suas características merecem destaque.

1 - "Lençol" para a peida



Este fantástico vaso sanitário tem, acima dele, um dispensador de "lençóis" peidolais que permitem que o utilizador se exprima de forma confortável e sem ter que pensar nos milhares de rabos que por aqui passaram.
O padrão xadrez ajuda também a um estado de calma, mesmo quando nos deparamos com material biológico altamente perigoso.

2 - A escova



Quando me deparei com este maravilhoso exemplar, pensei:
- Se tivesse aqui pasta de dentes, não hesitava.
Caso a imagem não seja suficientemente esclarecedora, fiquem a saber que este tampo tem uma manga de plástico por cima, que é renovada cada vez que carregamos num botão.


3 - Arruma-te aí ao canto que já tratamos disso



Casa de banho do Centro Comercial Alvaláxia.
A cor amarela presente na casa de banho masculina, não só disfarça os salpicos como mete um gajo logo todo animado.
Como puderam reparar, no lado direito (primeira divisão defecatória do centro de processamento de caca do R/C) há muito espaço para copular. É certo que terá que ser de pé, mas pelo menos a sanita não estorva.

4 - Mostrando-a a Lisboa



Armazéns do Chiado, piso da restauração.
Vejam lá o vídeo de novo. Repararam? O último urinol só tem divisória do lado direito. Quem ali urina está protegido do olhar guloso de um potencial utilizador do urinol adjacente, mas está a mostrar a pila a TODA A CIDADE DE LISBOA!
Pronto, talvez esteja a exagerar. Aquilo é no 6º piso mas posso garantir-vos que quem frequenta os andares mais elevados dos edifícios nas redondezas, vê dezenas de pilas por dia.
Se tiverem equipamento fotográfico jeitoso, podem abrir um site e fazer bom dinheiro.
Esta instalação sanitária conta também com a vantagem de estarmos constantemente a ser apanhados a ajeitar os tomates. A zona dos lavabos fica à entrada, entrada essa que não tem nenhuma barreira para o lado da zona feminina.
O macho acaba de verter águas, vai descontraído para lavar as mãos e quando dá por si, tem 5 mulheres (que estão a fazer fila) a olhar para a zona testicular que está a ser carinhosamente afagada.


Quem me envia pérolas deste nosso Portugal? Quem terá essa bondade dentro do coração?
Eu sou um apaixonado por casas de banho. Quero conhecê-las a todas, quero tratá-las por "tu"!
Quem me envia a próxima Rainha, aquela a quem vou doar parte do meu ser?

2008-08-12

- Olha, os meus miolos estão a vo...

Os policias, que geralmente são uns filho-da-puta porque têm a mania irritante de nos multar quando andamos a 120 km dentro de uma localidade e também por exigirem que se cumpra a lei, deixaram subitamente de o ser só porque mataram um brasileiro.

Acho que a maior parte dos portugueses que estão histéricos com a nossa "swat" estavam-se pouco lixando para os reféns. O que retêm disto é um pretexto para exercerem xenofobia em fóruns televisivos e radiofónicos sem sentirem que estão a ser julgados.

Sim, a policia portuguesa matou um brasileiro, não o neutralizou. Acho que o ph do gajo ficou na mesma.
Para mim, espetar com uma bala na corneta de uma pessoa não é nem nunca vai ser "neutralizar". Compreendo perfeitamente que um cadáver não entra em discussões, a opinião dele é neutra. Ainda assim, mataram-no.

Desenganem-se os que acham que quero com isto dizer que são assassinos. Mataram o gajo e mataram bem, não por ser brasileiro mas porque tinha que ser feito. Ele pôs-se a jeito, ameaçou a vida de inocentes e legitimou a bala que comeu. Para mais, um gajo que se expõe daquela maneira na rua, é burro e não anda a fazer muito por cá.

Mas estou cá para teorizar acerca de outras coisas...
Lembram-se da frase "até os comuemos a todos"? A Unidade Especial de Policia, aparentemente, fez um bom trabalho. Tal como a nossa selecção nacional, após a primeira vitória: "temos a melhor policia do mundo!".

Sugiro que se usem estes agentes no mundial de futebol de 2010.
  • Têm o apoio ridículo dos portugueses ridículos
  • Não sabem jogar à bola mas têm armas...
Cheira-me que iam até às meias-finais.

Não tirando mérito a esta unidade, será que se amanhã acontecer algo semelhante, tudo irá correr tão bem como desta vez? É que se perdem um refém o 100% de sucesso leva logo uma ripada e fica a 50%.


Tugas histéricos, não têm uma esposa para violentar? É que assim sempre estão entretidos e não vos tenho que ouvir.

P.S. - Querida TVI,
Podes por favor transmitir em directo o funeral do falecido e entrevistar os senhores do P.N.R.?
Já agora, vê se abres uns golpes fundos nos teus jornalistas, se os regas com gasolina e se lhes largas fogo. Estou farto deste festival de merdosos a procurar merda.

2008-08-07

Recuperar o poder (que nunca foi nosso)!

Desde o inicio dos tempos que o homem domina o mundo.
Desde o inicio dos tempos que a mulher domina o homem.

Indirectamente, sempre foram elas a mandar nisto tudo por via do nosso pénis. Agora que elas o estão a começar a fazer directamente, sem precisarem de nós como intermediário, o que fazer? Não sei se estão a perceber bem a gravidade do caso...

Nós estamos à beira de nos tornarmos completamente desnecessários!

Em poucos anos poderemos estar numa estrutura semelhante à Matrix cinematográfica, em que somos mantidos vivos apenas para a extracção de esperma.

Homens deste planeta, está na hora de enfrentar a situação e eu tenho um plano. Só há uma forma de evitar a catástrofe.
Sexo! É certo que os vibradores fazem muito mas não podem certamente insultá-las durante o acto ou trocar-lhes o nome pelo de uma amante.
É no sexo que está a solução para este problema. Não, não resulta continuar a agir da mesma forma, a ceder às carnalidades, como é suposto num macho, por dá cá aquela palha. Temos que o negar!

Se há coisa que as mulheres têm como dado adquirido é que os homens, perante uma situação de sexo gratuito e sem responsabilizações, não hesitam: siga para o chavascal!

Imaginem só o que é uma Soraia Chaves (que nem é bom exemplo porque tem cara de cavalo) a oferecer caldeirada e vocês a negarem... Claro que há logo mais 30.000 que a querem e que fazem tudo e mais alguma coisa, mas vos garanto, ela só vos vai querer a vocês, porque a rejeitaram.

A solução é a castidade. Compreendo que não vos agrade, mas temos que fazer qualquer coisa!
Elas já conduzem bêbadas, dão peidos, escarram e também já matam os filhos. Onde está a nossa individualidade?

Note-se que esta medida desesperada não é no sentido de nos superiorizarmos às mulheres, nada disso, pretendo apenas promover a igualdade entre sexos.

Machos de Portugal, juntem-se a mim! Digam não ao sexo (só a primeira vez)!

2008-08-04

Tabaco no trabalho


De mansinho, como quem não quer a coisa, toda a gente onde trabalho começa a cagar de alto a baixo na lei. Abandonou-se o espaço de fumo na cozinha e começou-se a fumar em qualquer sitio e à frente de qualquer pessoa.

Pouco me importa se violam a lei ou não, o que é certo é que não respeitam os outros e isso sim é coisa para me deixar lixado.
E quando perguntam aos outros se se importam que fumem quando a mim nunca o fizeram? Fico pouco podre...

Acho que está na altura de activar um plano de sensibilização, uma ideia que explanei por aqui no inicio do ano: vou começar a masturbar-me em qualquer local e não terei qualquer critério quanto ao alvo. Quem levar com os resíduos da minha actividade, levou!

É uma falta de respeito, não é? AZAR!

Nota: São todas mulheres. Parece que fumar é mesmo sinónimo de emancipação...
(Calha bem, assim o meu acto é mais ofensivo.)

2008-08-03

3 de Agosto de 2007

(Tal como prometido aqui.)

Sim, o texto vai ser longo.

Vale a pena ler? Claro!
Envolve dor que foi incutida neste que vos escreve? SIM!

Divertimento garantido.


12:00 - Caminho com os olhos baixos. Sinto cada detalhe do chão, cada pedra da calçada. Por muito poético que possa parecer, tudo se deve ao facto da sola dos ténis estar para lá de gasta. Prometo a mim próprio que não voltarei a fazer uso deles.
Para trás ficou uma hora e meia de transportes públicos que me levaram ao coração de Lisboa.
Apresento-me na recepção e informo que me disseram que era para estar lá às 12:30. Pedem-me para esperar. Dizem que vão tratar do processo e já me chamam.

Estou em jejum (não-opcional porra!), nem sequer água bebi. Olho para a televisão e está a dar o Goucha. Pego num x-acto e vou cortando o céu-da-boca, só para ajudar a passar o tempo e a controlar a dor que é ver aquele cozinheiro afrutalhado.

12:25 - A senhora da recepção vai ter comigo e acompanha-me ao 2º andar. Dá-me mais alguns detalhes e diz-me que aquela vai ser a minha cama. Devo aguardar que um enfermeiro me aborde.
Na enfermaria está um senhor. Cumprimento-o cordialmente, e rezo para que me deixe sossegadinho. Não estou com grande vontade de contar a minha vida.
Instalo-me e observo a toilette que me está reservada: bata e touca. Eu gosto de andar nu, como tal, parece-me bem. O meu único receio é que, por uma vil manobra hemofilosófica, fique com algo espetado no ar, ficando assim bem visível o meu nível de alegria.
O meu "companheiro" recebe alta. Apercebo-me que sou o Rei da enfermaria. O comando da televisão, é MEU!

14:00 - Novo "companheiro". Velhote careca que me explica com entusiasmo que rapa todos os dias o cabelo com lâminas de barbear e que depois a esfrega com uma mistura de betadine+álcool. Diz-me que resulta e que já lhe está a começar a crescer cabelo.
Lamento a minha sorte quando sou forçado a fazer alguns comentários genéricos sobre futebol. Não percebo um boi mas desenrasco qualquer coisa. Não quero que um homem que vai permanecer imóvel durante a noite pense que eu sou "amigo do Goucha".

15:00 - Finalmente um enfermeiro! Pede-me os exames, diz-me para vestir a bata bonita e mais nada por baixo. Obedeço, dou a pata e deito-me na cama. Adormeço para tentar enganar a fome e sede que me estão a dar cabo do juízo.

19:00 - Duas enfermeiras vêm buscar-me para o bloco operatório. Depois de me observarem apercebem-se de que sou um homem e que NÃO TENDO SIDO INFORMADO não depilei a zona em que vou sofrer a intervenção. Sim, parece-me óbvio que seja conveniente a ausência de pelos, mas nunca cheguei a pensar nisso.

19:15 - Cortam-mos deixando-me as pernas às listas. Sou conduzido, deitado na cama, até à sala do matadouro. Sinto-me ridículo por não ir pelo meu próprio pé.

19:25 - Sou entregue no bloco operatório e sou recebido pela anestesista. Tem um sorriso de varrer um gajo de alto a baixo e uma capacidade especial para me criar uma bolsa de soro debaixo da pele da mão. Falhou o alvo e em vez de meter a intra-venosa na VEIA, espeta-me o soro em parte indevida.
Ela pede imensas desculpas enquanto me espeta repetidas vezes na tentativa de fazer a coisa bem. Respondo que não tem problema, que às vezes acontece e que se for preciso lhe empresto um martelo pneumático. Exclamo tudo isto com a voz de quem está a defecar um cacilheiro. Aquilo foi coisa para doer um bocadinho.

19:35 - Alguém que começou a sair de uma anestesia, começa a gemer. Certamente tem uma pedra na boca, porque não se percebe nada do que diz.
Explicam-me o tipo de anestesia que me vão aplicar e dizem-me que agora sou capaz de ficar um pouco confuso. Penso para mim: deves achar que não aguento essa merda-tens-razão-isto-está-a-bater-com-uma-força-do-caraças! Mantenho-me acordado mas pouco consciente. Adormeço por tempo indeterminado.

Sei:lá - Acordo enquanto me levam para a sala de operações. Cumprimento o zé-da-faca e prometo a mim mesmo que vou ficar acordado e ver a carnificina pelo monitor. Mando uma piadola ou duas à equipa, mostrando que estou descontraído e que se não estivesse em jejum dava um flato ou dois só para desanuviar o ambiente, para o tornar mais acolhedor.
Dizem-me que agora é que é a anestesia.

Sei:lá e uns minutos - Acordo e penso: Ups! Onde está a minha pila? As minhas pernas? NÃO SINTO NADA DA CINTURA PARA BAIXO!
Não, não entrei em pânico, já sabia que ia acontecer. Não vejo nada para baixo, está tapado. Apercebo-me que estou nu e que aquela merda que anda a voar de um lado para o outro são as MINHAS PERNAS! Penso para mim que esta seria uma péssima altura para receber um fellatio.
Apercebo-me pelo ecrã que o senhor doutor já está a escavacar o meu joelho com uma retroescavadora.
Adormeço de novo.

22:00 - O terror.

8:00 - Hora de mostrar a pila a outra enfermeira que levanta os lençóis sem saber que eu estava nu.

9:00 - Hora de mostrar a pila a uma senhora doutora que levanta os lençóis sem saber que eu estava nu.

10:00 - Hora de passear nu pela enfermaria (onde já estão mais dois pacientes) e pelo corredor e de mostrar a pila a mais 3 ou 4 pessoas.
Não é que a cabra da enfermeira me mete numa cadeira de rodas para eu ir tomar um duche e não me tapa com nada? Eu convencido que aquilo era habitual.
Em condições normais não me importaria. Mostraria a todos a minha imponência. Naquele dia, em especifico, tinha o órgão sexual mais mirrado de todo o concelho. Dignidade = 0.
Na volta para a cama, é outra enfermeira que me vai buscar. Manda-me tapar-me com uma toalha, não me queria ver as vergonhas! Passei por pervertido sem o querer ser.

12:00 - Saio do hospital e percebo que deixei todo o orgulho lá dentro. Vou para casa lamber as feridas (por favor não levar à letra).